Igreja do Mosteiro de S. Dinis, Odivelas

No domingo dia 4 de Outubro de 2009 decorreu, num espaço carregado de história, o casamento da Mara e do Luís que se desenrolou no Mosteiro de São Dinis, em Odivelas.

O Mosteiro de S. Dinis, também chamado de Mosteiro de Odivelas, situa-se no coração de Odivelas e foi construído entre 1295 e 1305. Reza a lenda que o rei D. Dinis mandou erguer o mosteiro após ter saído são e salvo de um ataque de um urso durante uma caçada. No entanto, os historiadores apontam para a hipótese de o edifício ter sido um local para o monarca acomodar filhos bastardos. É lá que está o rei conhecido como O Lavrador e uma das suas filhas, D. Maria Afonso.

Ao longo dos tempos este edifício sofreu várias alterações e contratempos. Nomeadamente, ficou seriamente afectado por dois terramotos, o primeiro em 1531 e o segundo o célebre sismo de 1755. Pelo meio, foi lá sepultada (em 1516) D. Violante, irmã de Pedro Álvares Cabral, a qual pediu a Gil Vicente que escrevesse o "Auto da Cananeira".

A igreja do complexo é composta por uma única nave, cabeceira escalonada com ábside e absidíolos poligonais comunicantes, tendo adossada sacristia e capela. A nave possui dois púlpitos e quatro altares enquadrados por arcos e tribuna sobre entrada.

Fruto de diversas ocupações, hoje é um colégio feminino para filhas de militares, o Instituto de Odivelas, e encontra-se sob a responsabilidade do Ministério da Defesa.

Mara e Luís, desejamos-vos as maiores felicidades e… não se esqueçam do par de botas!

3 de Outubro – Igreja Matriz de Alhos Vedros

A Cláudia e o Hugo escolheram o sábado, dia 3 de Outubro para realizarem a sua cerimónia de casamento. O Ensemble FazMúsica participou na cerimónia religiosa que se desenrolou na Igreja Matriz de Alhos Vedros.




A fundação da Igreja Matriz de Alhos Vedros remonta, possivelmente, a fins do séc. XIII, mas da construção primitiva nada resta. No baptistério destaque para azulejos do séc. XVIII onde está representado o baptismo de Jesus. Trata-se de um templo de nave única com capela-mor e quatro capelas laterais: a de São Sebastião de estilo gótico foi edificada no séc. XV por Pero Vicente, que aqui foi sepultado com sua mulher Constança Vaz. A capela de São João Baptista (terceira do lado direito) de estilo Manuelino tem as paredes cobertas de azulejos, do tipo de aresta (azulejos sevilhanos hispano-árabes), da primeira década do séc. XVI.


No chão da capela encontra-se a sepultura de Pero Gomes de Faria (1517), cavaleiro de D. Manuel I e possivelmente fundador da capela. A capela de N.ª Sr.a do Rosário (primeira do lado esquerdo) é datada do séc. XVII com azulejos do séc. XVIII onde está representada a vida da Virgem. Já a capela de N.ª Sr.a dos Anjos (Segunda do lado esquerdo) é do séc. XVI e nela pode-se observar uma cúpula mourisca e sepulturas da família Mendonça Furtado, provavelmente seus fundadores. É nesta capela que está depositada a imagem de N.ª Sra. dos Anjos, datada do séc. XV, feita em pedra e com o menino no braço esquerdo.


Que sejam muito felizes, Cláudia e Hugo, por muitos e muitos anos, são os votos do Ensemble FazMúsica!

27 Setembro - Quinta de São Miguel da Corujeira

A Quinta São Miguel da Corujeira situa-se no sítio da Corujeira, freguesia da Aldeia Galega da Merceana, concelho de Alenquer, na Estrada Nacional nº115 que liga Sobral de Monte Agraço a Merceana.
Integrada na região do Oeste, numa zona de grande beleza natural, onde se encontram algumas das mais belas Igrejas da região, entre pomares e vinhas já celebradas por Gil Vicente no Pranto da Maria Parda.
A Quinta apresenta um conjunto de infra-estruturas ideais para se organizar e criar um ambiente fantástico para casamentos, baptizados, entre outras.

A Quinta de São Miguel da Corujeira recebeu a nossa música para a cerimónia civil da Paula e do Paulo que se desenrolou nos jardins contíguos à piscina, e o cocktail foi servido já na zona da piscina, e serviu de cenário para as fotografias. A cerimónia civil contou com o seguinte alinhamento musical:

Entrada do Noivo – Can you feel the love tonight, Elton John
Entrada da Noiva – She, Elvis Costello
Entrega das Alianças – When I fall in love, Nat King Cole
Saída dos Noivos – What a wonderful world, Louis Armstrong

Desejamos muitas felicidades e que a vida lhes sorria, plena de felicidade e muito amor!

27 de Setembro - Siobhán & Nuno, Aldeia Galega da Merceana

Regressamos, pela segunda vez este ano, à histórica Aldeia Galega da Merceana, mais propriamente à Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, para realizar mais um casamento bilingue. A noiva, Siobhán, de origem irlandesa, e o noivo Nuno, de origem portuguesa, escolheram o seguinte alinhamento musical para a cerimónia sem missa:

Entrada do noivo - Moon River , Henry Mancini
Entrada da noiva – Gabriel’s Oboe, Ennio Morricone
Cerimonia das velas - Arioso, Bach
Salmo 128
Alleluia, Mozart
Acender da vela de casados - Jesu, Joy of Man's Desiring, Bach, Cantata, Bach
Assinaturas – Canon, Pachebell
Saida do noivos - What a Wonderful World, Louis Armstrong

Esta igreja é considerada um monumento de muito interesse, e a sua concepção ornamental apresenta características da segunda metade do século XVIII. É constituída por uma só nave com capela-mor e tem três altares de talha branco e oiro. O tecto da capela-mor apresenta uma pintura do século XVIII sobre madeira com os quatro Evangelistas. A pintura do tecto e da nave são da mesma época. A igreja contém ainda diversas imagens de grande valor como a imagem de "S. Miguel" e a de "Nossa Senhora do Rosário". No templo existe ainda uma capela lateral com traça nitidamente mais antiga que assinala vestígios da primitiva igreja.

To the Bride and Groom, Siobhán & Nuno, we wish you lots of luck and happiness for your future together!

26 Setembro - Igreja de São Domingos, Lisboa

A Sónia e o Filipe, escolheram para local do seu casamento e baptizado da sua pequena filha, a Igreja de São Domingos, situada bem no centro da bonita cidade de Lisboa, junto à Praça do Rossio, que data do século XIII, sendo famosa por albergar no seu interior parte do lenço da pastorinha Lúcia e o terço da pastorinha Jacinta, usados por elas quando se deu o milagre do sol, no dia 13 de Maio de 1917.

A Igreja de uma só nave, viu lançada a primeira pedra no ano de 1241, e desde então sofreu sucessivas campanhas de restauro e ampliação. O seu estilo arquitectónico é, pois, uma mescla dos diferentes períodos e influências que a moldaram. O terramoto de 1755 derrubou-a por completo, exceptuando a capela-mor, que havia sido alvo de obras em 1748, obras essas que foram dirigidas pelo famoso arquitecto Ludovice.

Em 1954, um violento incêndio destruiu por completo a decoração interior da igreja, onde constavam altares em talha dourada, imagens valiosas e pinturas. A igreja recebeu obras e reabriu ao público em 1994, sem esconder as marcas do incêndio, como as colunas rachadas. Ainda que destruída, é uma igreja que sobressai pela policromia dos seus mármores. Era desta Igreja que saíam em procissão os condenados à fogueira da Inquisição, e onde se celebraram alguns dos importantes casamentos e baptizados Reais.

Muitas felicidades, são os votos do Ensemble FazMúsica!

25 Setembro – Igreja de São Silvestre, Gradil

De à uns anos até esta data, muitos casamentos começaram a ser realizados durante a semana, principalmente à sexta-feira. Este casamento realizou-se na sexta-feira, dia 25 de Setembro pelas 13 horas na Igreja Matriz do Gradil e contou ainda com outra particularidade… Os noivos, Aoife & Mark, são um casal irlandês que vieram de propósito realizar a cerimónia do seu casamento no nosso país.
A sequência da cerimónia com missa seguiu os ritos do país de origem dos noivos e apresentou a seguinte sequência musical:

Entrada dos Convidados e do Noivo - She, Elvis Costello
Entrada da Noiva - Gabriel's Oboé, Ennio Morricone
Acender das velas – Summertime, Gershwin
Benção e entrega das alianças - Panis Angelicus, Cesar Franck
Abraço da Paz – Imagine, Beatles
Comunhão - Avé Maria, Gounod Assinatura - Canon, Pachelbel
Saída dos noivos - Marcha Nupcial, Mendelsshon

A igreja matriz é o mais importante monumento desta freguesia. Consagrada a S. Silvestre, é de uma só nave e apresenta dimensões muito consideráveis. Na capela-mor, coberta por abóbada de berço, e iluminada por dois janelões rectangulares que se abrem nos muros laterais, destaca-se o retábulo, ostentando ao centro uma tela figurando uma cena com São Silvestre Papa. As suas paredes são decoradas com azulejos seiscentistas do tipo tapete e têm adossados dois púlpitos de pedra rosada. Esta igreja em uma imagem do Menino Jesus, num dos altares, em redor da qual existe uma curiosa lenda sobre a sua destruição durante o terramoto de 1755 e a posterior reconstrução.
For Aoife and Mark, we wish all the best!

20 Setembro – Igreja de São Silvestre, Gradil

A Igreja de São Silvestre no Gradil, também conhecida por Igreja Matriz do Gradil, situada junto a Mafra, foi o local escolhido pela Bianca, de nacionalidade alemã, e pelo Bruno, de nacionalidade portuguesa, para a cerimónia do seu casamento que se realizou no dia 20 de Setembro de 2009. O alinhamento musical escolhido para este casamento bilingue foi:

Entrada do Noivo: Abdelazer, Purcell
Entrada da Noiva: Marcha Nupcial, Mendelsohn
Aleluia Gregoriano
Benção e entrega das alianças: Avé Maria, Gounod
Após Oração Universal: Canon, Pachelbel
Assinaturas: Arioso, Bach
Saída dos Noivos: Hornpipe, Haendel
A Igreja Matriz do Gradil deverá datar do século XVII, embora guarde pormenores quinhentistas. Por cima da porta da sacristia encontra-se inscrita numa pedra a data de 1760, presumindo-se ter sido nessa altura concluída a reconstrução da igreja, depois do terramoto de 1755. No coro alto encontra-se um órgão de tubos, da autoria de António Xavier Machado e Cerveira, irmão do escultor Machado de Castro, de 1801. Uma fonte baptismal quinhentista, duas pias de água benta e um arcaz de sacristia seiscentistas, e o altar-mor setecentista, fechado por uma tela evocando o baptismo do Imperador Constantino pelo Papa São Silvestre, são outros motivos de interesse.
Bianca und Bruno sind sehr glücklich, vielen Jahren, sind die Stimmen des Ensemble FazMúsica!

19 Setembro - Igreja de São Domingos de Benfica, Lisboa

A Igreja de São Domingos de Benfica fica situada no Largo de São Domingos, em Benfica, muito perto do Palácio dos Marqueses de Fronteira. Faz parte de um convento dos Dominicanos, fundada em 1399, que foi renovado várias vezes - mais recentemente no século XIX. Esta foi a igreja escolhida pela Mariana e pelo André para a cerimónia do seu casamento, que contou com o seguinte programa musical:

Entrada do Noivo - Ária, Bach
Entrada da Noiva - Avé Maria, Schubert
Salmo - 127 (126)
Aleluia Gregoriano
Benção e entrega das Alianças - Jesu, Joy of Man's Desiring, Bach,
Ofertório - Ombra Mai Fu, Haendel
Sanctus - Schubert
Comunhão - Ave Verum Corpus, Mozart
Assinaturas - Tema do filme Aladino, Disney
Saída dos Noivos - Marcha Nupcial, Mendelsshon

A pequena igreja, que geralmente é mantida fechada, ficou tão danificada com o terramoto que a maioria tinha que ser reconstruído. As paredes estão decoradas com azulejos de António de Oliveira que datam do século XVIII. No interior, destacam-se várias estátuas esculpidas em mármore Carrara e Arrábida. Os túmulos de muitos membros da família de Fronteira, a quem pertencia o palácio vizinho, encontram-se na capela-mor.

Votos de felicidades e que sejam felizes por muitos anos!

12 Setembro - Basílica da Estrela, Lisboa

A Basílica da Estrela, também conhecida como Basílica do Sagrado Coração de Jesus, foi o local escolhido pela Cláudia e pelo José Pedro para a cerimónia do seu casamento que se realizou no dia 12 de Setembro de 2009. Esta vasta igreja, mandada construir pela rainha D. Maria no século XVIII, ergue-se no alto de uma colina na zona oeste da cidade de Lisboa, apresentando uma nave única e planta em cruz latina, tratando-se de uma das mais brilhantes realizações do Barroco tardio, com inclusão de elementos já neoclássicos. A fachada é coroada por um frontão triangular enquadrada por duas torres sineiras com relógios, e decorada com estátuas monumentais e figurações relevadas alusivas ao mistério do Sagrado Coração de Jesus.

No interior salienta-se o altar-mor, com retábulo da mesma temática, e ainda a tela A Ceia, de Pompeo Battoni, ou o grupo escultórico da Eucaristia, desenho de Machado de Castro (como no caso das esculturas do exterior), bem como o sepulcro da rainha D. Maria, situado na capela-mor. Cláudia e José Pedro que sejam felizes por muitos e muitos anos, são os votos do Ensemble FazMúsica!

5 Setembro – Igr. S. João Baptista, Lumiar

Como diz o velho ditado … Não há duas sem três!
E desta feita o ditado aplica-se na integra, já que pela terceira vez este ano nos deslocámos à Igreja de São João Baptista no Lumiar, para levar a nossa música ao casamento da Alexandra e do Jorge. O alinhamento musical contou com o Gabriel's Oboé de Ennio Morricone para a entrada do noivo e para a entrada da noiva a Avé Maria de Schubert. Para a aclamação do evangelho a escolha recaiu sobre o Aleluia de Mozart e a bênção e entrega das alianças teve como fundo musical o Avé Verum Corpus de Mozart.
A música escolhida para as assinaturas, um pedido especial do noivo Jorge, foi o tema do filme Schindler's List. Para finalizar o tema escolhido para a saída dos noivos foi a marcha de Pompa e Circunstância do compositor inglês Elgar.
Para a Alexandra e para o Jorge, desejamos muitas felicidades!!!

29 de Agosto – Igreja Santa Maria, Sintra

No dia 29 de Agosto, realizámos mais um casamento religioso, cocktail, refeição e valsa. A cerimónia de casamento da Ângela e do Nuno decorreu na Igreja de Santa Maria, em Sintra, e os restantes momentos desenrolaram-se na Messe de Oficiais da Força Aérea em Monsanto.
A Igreja de Santa Maria é um dos monumentos góticos mais interessantes de Sintra. Situada na estrada que leva até ao Castelo dos Mouros, foi fundada por D. Afonso Henriques após a Reconquista, mas totalmente alterada em fins do século XIII e inícios do XIV. Originalmente com uma arquitectura medieval, sofreu, a partir do século XV, alterações que lhe acrescentaram a monumentalidade da arquitectura gótica e romântica.

É um vetusto edifício gótico de três naves, com tramos de arcaria ogival e capitéis finamente lavrados, atestando plenamente o espaço sagrado dos templos medievais. O pórtico principal, inscrito num gablete gótico sofreu acrescentos no início do século XVI - serventia geminada com colunelo classicista ao centro -, bem como o coro, com a sua abóboda artesonada, e as pias baptismal e de água benta, estas da época «manuelina».
O terramoto de 1755 também abalou significativamente este edifício, o que deu lugar a grandes obras; no entanto, a Igreja foi recuperada sem grandes alterações estilísticas. Muitas felicidades, são os votos do Ensemble FazMúsica!

29 Agosto - Igreja de Santo António do Estoril

A Igreja de Santo António do Estoril, ou Igreja Matriz do Estoril, junto à Av. Marginal, mandada construir pela Ordem de São Francisco, no lugar onde se erguia em 1527 uma antiga Ermida em madeira dedicada a São Roque. A igreja que chegou aos nossos dias passou por diversas catástrofes, como o terramoto de 1755, que a deixou parcialmente destruída, sendo de imediato recuperada entre 1756 e 1758; em 1927, sofreu um grande incêndio, que quase a destruiu por completo, mas também desta vez a recuperação não tardou. Destaca-se o seu frontão barroco e, no interior, os painéis de azulejos com motivos da vida e dos milagres de Santo António.
Este foi o cenário escolhido pelos noivos Sandra e Stuart para a cerimónia do seu casamento. No fim do casamento, antes da saída, e a pedido do noivo, fizemos uma pequena/grande surpresa à noiva, interpretando "All You Need Is Love" dos The Beatles. Juntou-se ao Ensemble FazMúsica uma voz masculina, e um saxofone que entrou de rompante pela igreja, para espanto de todos.

For Sandra and Stuart, we wish all the best!

23 de Agosto- Igreja da Ameixoeira, Lumiar

A Clara e o Nuno escolheram o domingo, dia 23 de Agosto para realizarem a sua cerimónia de casamento. O Ensemble FazMúsica participou na cerimónia religiosa que se desenrolou na Igreja de Nossa Senhora da Encarnação, também designada pela Igreja Paroquial da Ameixoeira, e contou com a seguinte sequência musical:

Entrada do noivo - Aria, Bach
Entrada da noiva - Ave Maria, Mascagni
Salmo 111
Aleluia, Mozart
Benção e entrega das alianças - Panis Angelicus, Cesar Franck
Assinaturas - Jesu, Joy of Man's Desiring, Bach
Saída dos noivos - Gabriel's Oboe, Ennio Morricone
A Igreja de Nossa Senhora da Encarnação encontra-se na zona norte de Lisboa, e a Ameixoeira é a última freguesia do concelho de Lisboa, na saída oeste, em direcção à cidade de Loures. Foi edificada anteriormente a 1500 e a sua reedificação data de 1664. Parece que nesta data passou a ser invocada a Nossa Senhora da Encarnação, em vez de Nossa Senhora do Funchal, como era até então.
Clara e Nuno, sejam muito felizes por muitos e muitos anos, são os votos do Ensemble FazMúsica!

22 de Agosto - Quinta do Convento da Visitação, Alenquer

Situada no coração da região da Estremadura, mais propriamente em Vila Verde dos Francos, Alenquer, a Quinta do Convento de Nossa Senhora da Visitação, é uma pequena preciosidade. Rodeada pelas suas matas densas envoltas por vinhedos, apresenta uma beleza natural carregada de discrição. O verde predomina no cenário, pautado por altos e baixos, campos de pasto a emparceirarem com áreas de cultivo e núcleos de árvores. A meia centena de hectares da quinta, nos quais se contam 13 hectares de vinha plantada há seis anos e mais três hectares surgidos em Maio último, casa na perfeição com essa paleta.Foi nesta propriedade com mais de cinco séculos de História e que pertenceu ao irmão de Afonso de Albuquerque, que realizámos mais um cocktail, durante a festa de casamento da Vanda e José e do baptizado do pequeno André. Apesar de estar um pouco de vento, o cocktail realizou-se num espaço exterior junto à adega. Que sejam muito felizes, são os votos do Ensemble FazMúsica.

15 de Agosto – Quinta El Carmen, Azeitão

Pela segunda vez este ano, deslocámo-nos à Ermida de Nossa Senhora de El Carmen, também simplesmente conhecida por Quinta El Carmen. Este foi o palco escolhido pela Carmen e pelo Valter para o grande dia da vida deles. A sequência musical escolhida foi:
Entrada do Noivo: Arioso, Bach
Entrada da Noiva: Marcha Nupcial, Mendelsshon
Aclamação do evangelho: Aleluia Tradicional
Benção e entrega das alianças: Ária, Bach
Assinaturas: Cânon, Pachelbel
Saida do noivos: Hasta mi Final, Il Divo
Local carregado de história e tradição, conserva até aos dias de hoje a imagem da Senhora de El Carmen, que sempre foi venerada pelos povos da vizinhança que faziam bailes e representações no terreno junto à ermida. Parece, no entanto, não terem sido sempre «tão honestas como era razão que fossem» e o Cabido de Lisboa mandou afixar na porta da igreja, em 1714, uma pastoral com pena de excomunhão e suspensão dos festejos. Mais tarde os habitantes dos casais da Serra e das Pedreiras passaram a fazer anualmente duas festividades na Capela de El Carmen, uma na quinta-feira de Ascensão e outra durante o mês de julho. Contavam-se entre as manifestações deste último festejo uma missa cantada com sermão, um arraial, um bailarico animado pelo som da flauta e da guitarra e, ainda, um piquenique acompanhado do toque da gaita de foles e do rufar de um tamboril.
Do terraço da capela ou das janelas da casa adjacente à capela, pode-se desfrutar de um panorama único e deslumbrante, como noutros pontos elevados da serra.

Para a Carmen e para o Valter, votos sinceros de muitas felicidades.

14 de Agosto – Pousada de São Filipe, Setúbal

A Pousada de São Filipe encontra-se instalada no Forte de São Filipe, com vistas magníficas sobre a cidade de Setúbal, o estuário do Sado, a Península de Tróia e todos os arredores do Parque Natural da Arrábida. O Forte de São Filipe, também conhecido como Castelo de São Filipe, datado do final do século XVI, foi mandado erguer por Filipe I, e era aqui que se situava a Casa do Governador e outros edifícios militares. Em 1868 um violento incêndio destruiu praticamente todas as estruturas interiores tendo-se salvado a pequena capela barroca existente no local, erguida no reinado de D. João V. A área do Forte foi classificada como Monumento Nacional em 1933. Em 1964 foi aprovado o projecto de adaptação a pousada dos edifícios da casa do governador e cadeia. As obras duraram um ano sendo a pousada inaugurada 1965.


Este foi o local escolhido pelo casal Elinor e Jorge, para a cerimónia do seu casamento, no qual participamos durante o jantar, proporcionando um ambiente magnífico para uma refeição excepcional.
Durante a entrada e prato de peixe, interpretamos várias obras de estilo clássico, dos quais destacamos: Hornpipe, Haendel; Prelude from Te Deum, Charpentier; Canon, Pachelbel; Sleepers Awake, Bach; Arioso, Bach; Rondeau, Purcell; Cânone, Pachelbel; Water Music Suite, Haendel; Ombra mai Fu, Haendel; Brindisi, La Traviata; Hino da Alegria, Beethoven; Nessum Dorma, Puccini; Primavera, Vivaldi; Pompa e Circunstância, Elgar e Fur Elise, Beethoven.
Para intercalar, no final do prato de peixe e sobremesa, e dentro de um estilo ligeiro, interpretamos: Libertango, Piazzolla; Moon River; A Whole New World, Aladino; Yesterday, John Lenon; Lista de Schindler; Country Club, Scott Joplin; Summertime, Gershwin; Ai Mouraria; Oblivion, Piazzolla; Entertainer, Scott Joplin; Lisboa Antiga; Maple Leaf Rag, Scott Joplin; Coimbra e o Sole Mio.
Durante o corte do bolo, e para finalizar a nossa actuação, interpretamos What a Wonderful World e Hasta Mi Final.

Elinor e Jorge, que sejam felizes, por muitos e muitos anos, são os votos do Ensemble FazMúsica!

8 de Agosto – Igreja de São Pedro, Palmela

Pela primeira vez este ano, deslocámo-nos a uma das Igrejas mais belas por onde temos passado, para levar a nossa música a dois casamentos... a Igreja de São Pedro, em Palmela. O maravilhoso pároco, Padre José Maria, acolheu-nos como sempre com a maior simpatia, e foi sob áurea de alegria que a Igreja de São Pedro, recebeu neste dia o casamento da Milena e do Victor, e o casamento da Tânia e do António.
No Largo do Município de Palmela encontra-se a Igreja de São Pedro, da qual se desconhece a origem da sua fundação, embora existam algumas referências documentais que referem o ano de 1320. Pensa-se, no entanto, que a Igreja seja mais antiga. O actual edifício data da 2ª metade do século XVI sendo António Rodrigues, arquitecto de El Rei D. Sebastião, o seu autor.
O interior da igreja é composto por três naves com colunas toscanas. Nas paredes, datando do século XVIII, existe um conjunto de notáveis azulejos historiados com cenas da vida de São Pedro. Na capela-mor, também revestida com azulejos, existe um bom conjunto de telas setecentistas. A campanha de obras do reinado de D João V foi motivada pela destruição do interior da igreja, devido ao incêndio do dia 17 de Abril de 1713. Também o terramoto de 1755 destruiu a fachada principal, tendo-se a sua reconstrução sido prolongada até finais do século XVIII.
Para ambos os casais, votos de muitas felicidades!

2 de Agosto - Casamento & baptizado, Óbidos

Fora da Vila de Óbidos, na estrada para as Caldas da Rainha, ergue-se o Santuário do Senhor da Pedra, templo inaugurado em 1747, é um dos mais interessantes edifícios Barroco em Portugal, principalmente devido ao seu formato hexagonal.

Foi neste local carregado de história, que no passado dia 2 de Agosto, se desenrolou a cerimónia de casamento da Flávia e do Nuno, e o baptizado do pequeno Afonso. De salientar, que a nossa presença era uma pequena surpresa para o noivo, que no final da cerimónia nos manifestou o seu maior agrado.

O Santuário do Senhor da Pedra foi encomendado pelo rei D. João V, e o trabalho de construção foi da responsabilidade do arquitecto Capitão Rodrigo Franco (da Mitra Patriarcal). Esta igreja tem a particularidade de articular um volume cilíndrico (exterior) com um polígono hexagonal (interior), em planta centrada à qual se anexam três corpos (dois correspondentes às torres e outro que corresponde à sacristia). No seu programa de simetrias destaca-se o jogo de janelas invertidas.

O seu interior apresenta três capelas: a capela-mor dedicada ao Calvário, com uma tela de André Gonçalves, e as capelas laterais dedicadas a Nossa Senhora da Conceição e à Morte de São José, com telas de José da Costa Negreiros. A "estranha" imagem de pedra de Cristo Crucificado, em maquineta própria no Altar-Mor, esteve até à inauguração do Santuário recolhida numa pequena ermida junto à estrada para Caldas da Rainha onde era objecto de grande devoção, nomeadamente do Rei D. João V.Flávia, Nuno e Afonso, desejamos muitas felicidades e uma vida repleta de muita saúde, para verem eternamente o vosso Afonso crescer, são os votos do Ensemble FazMúsica.

25 de Julho - Inês & Miguel - Sé, Setúbal

A igreja de Santa Maria da Graça recebeu no dia 25 de Julho, a Inês e o Miguel, para a cerimónia do seu casamento. A sequência musical escolhida foi:

Entrada do noivo – Pompa e Circunstância, Elgar
Entrada da noiva – Ária, Bach
Aleluia Tradicional
Alianças – Cânon, Pachelbel
Consagração à Nossa Senhora – Avé Maria, Gounod
Assinaturas – Hino Alegria, Beethoven e Gabriel’s Oboé, Ennio Morricone
Saída noivos - Jesu, Joy of Man´s Desiring, Bach

Esta igreja foi o primeiro templo de Setúbal, construído em 1248, de acordo com o estilo românico. Tendo entrado em ruína, foi reconstruída em meados do séc. XVI ficando concluída em 1565/1570, apresentando ainda hoje a fachada renascentista. O seu autor terá sido António Rodrigues.

O interior, dividido em três naves formadas por duas séries de colunas dóricas, foi redecorado na época barroca, possuindo rica talha dourada, bem como, silhar de azulejos também do séc. XVIII com painéis figurativos da vida da Virgem. O tecto das naves com falsas abóbadas a berço, em madeira apresenta medalhões representando a heráldica monárquica e São Telmo, oráculo da confraria de mareantes aí instalada e que posteriormente passou para a Casa do Corpo Santo em 1714, e na central a figura de Santa Maria da Graça. Apresenta, ainda, as colunas e as arcadas pintadas ao gosto barroco com elementos sobretudos florais e vegetalistas. A capela-mor com falsa abóbada rebaixada coberta por talha dourada, abrindo para anexo a sul por tribuna em madeira, apresenta arco triunfal redondo sobre pilastras toscanas. A igreja foi transformada em Sé, na altura da criação do bispado de Setúbal.

Inês e Miguel, desejamos uma vida plena de felicidade e com muito amor.

Sheyla & Pedro - Igreja de São Roque

A legendária Igreja de São Roque, situada em pleno Bairro Alto, no Largo Trindade Coelho, também conhecido por Largo da Santa Casa, acolheu no dia 18 de Julho de 2009 a Sheyla e o Pedro para a cerimónia do seu casamento.
A igreja começou a ser construída em 1506, e aqui se institui a Irmandade de São Roque. Em 1553 instala-se a Companhia de Jesus que edifica a estrutura visível hoje em dia, mantendo a Capela de São Roque no interior.
Em 1768, a Companhia de Jesus é expulsa do território Português, ficando a Igreja de São Roque e os respectivos bens entregues à Misericórdia de Lisboa, estando hoje em dia expostos no Museu de Arte Sacra de São Roque, ao lado da Igreja.
A igreja, de acordo com a tipologia jesuíta apresenta uma fachada sóbria e austera, e um amplo e rico espaço interior, Maneirista, composto por oito capelas, agrupadas quatro a quatro, profusamente decorada a talha dourada e mármore, dada a protecção do magnânime Rei D. João V.
O plano da igreja é da autoria do conceituado Arquitecto Filipe Terzi, único exemplar em Lisboa que resta dos famosos grandes tectos pintados do período Maneirista, atribuído aos pintores Francisco Venegas e Amaro do Vale.
Votos de felicidades e que sejam felizes por muitos anos!

4 de Julho, Igr. S. João Baptista, Lumiar - Andreia & Nelson

A Igreja Matriz instituiu-se em 1276, no reinado de D. Afonso III, em terras que a este pertenciam, e o seu fundador foi o Bispo de Lisboa D. Mateus. O altar do lado esquerdo é dedicado a Santa Brígida. A porta principal tem a inscrição de 1603 e a lateral é de estilo Manuelino.

Um incêndio ocorrido em 7 de Fevereiro de 1932, obrigou ao encerramento da igreja, passando os serviços paroquiais para a Capela de Santa Rita, do vizinho Palácio do Duque de Palmela.
A reconstrução fez-se rapidamente, a expensas públicas, efectuando-se a reabertura solene do templo em 23 de Junho de 1935, onde desde 24 de Dezembro do ano anterior tinham voltado a efectuar-se os actos paroquiais. A lenda que se formou à volta da Santa e a festividade que se fazia em sua honra, tinham outrora um luzimento e repercussão bem diferentes.

Regressámos à Igreja de São João Baptista, para fazer soar a nossa música na Cerimónia de Casamento da Andreia e do Nelson. Mais uma vez, o casamento foi celebrado pelo simpático Padre Alberto Sousa e fazemos nossas, as palavras do Sr. Padre… “Nunca deixem desaparecer a chama do vosso amor, e certamente, serão eternamente felizes!”

Quinta Lesmona - Susana & Seb

Como já vem sendo hábito, o Ensemble FazMúsica realizou mais um casamento bilingue no dia 20 de Junho de 2009. O cenário escolhido pelos noivos Susana e Seb foi a Quinta Lesmona, que acolheu a nossa música para a Cerimónia Civil e Cocktail.

O alinhamento musical escolhido para a Cerimónia Civil foi:
Entrada do noivo - Canon, Pachelbel
Entrada da noiva - She, Elvis Costello
Alianças – Cantata, Bach
Saída – Imagine, John Lennon
Situada junto a Cascais, às rochas da costa selvagem e às praias que nos conduzem até ao Cabo da Roca - o ponto mais ocidental da Europa Continental, a Quinta Lesmona tem uma localização privilegiada com uma vista bonita sobre os campos de golf da Quinta da Marinha.

Este é o local ideal para eventos como festas de casamento, baptizados ou recepções, podendo viver-se momentos inesquecíveis, envolto de qualidade e requinte, enquanto se desvenda a Quinta envolvida de plena natureza. O extenso relvado, rodeado de árvores e flores, cria um ambiente de calma e frescura.
To the Bride and Groom, Susana and Seb, we wish you lots of luck and happiness for your future together!