Sheyla & Pedro - Igreja de São Roque

A legendária Igreja de São Roque, situada em pleno Bairro Alto, no Largo Trindade Coelho, também conhecido por Largo da Santa Casa, acolheu no dia 18 de Julho de 2009 a Sheyla e o Pedro para a cerimónia do seu casamento.
A igreja começou a ser construída em 1506, e aqui se institui a Irmandade de São Roque. Em 1553 instala-se a Companhia de Jesus que edifica a estrutura visível hoje em dia, mantendo a Capela de São Roque no interior.
Em 1768, a Companhia de Jesus é expulsa do território Português, ficando a Igreja de São Roque e os respectivos bens entregues à Misericórdia de Lisboa, estando hoje em dia expostos no Museu de Arte Sacra de São Roque, ao lado da Igreja.
A igreja, de acordo com a tipologia jesuíta apresenta uma fachada sóbria e austera, e um amplo e rico espaço interior, Maneirista, composto por oito capelas, agrupadas quatro a quatro, profusamente decorada a talha dourada e mármore, dada a protecção do magnânime Rei D. João V.
O plano da igreja é da autoria do conceituado Arquitecto Filipe Terzi, único exemplar em Lisboa que resta dos famosos grandes tectos pintados do período Maneirista, atribuído aos pintores Francisco Venegas e Amaro do Vale.
Votos de felicidades e que sejam felizes por muitos anos!

4 de Julho, Igr. S. João Baptista, Lumiar - Andreia & Nelson

A Igreja Matriz instituiu-se em 1276, no reinado de D. Afonso III, em terras que a este pertenciam, e o seu fundador foi o Bispo de Lisboa D. Mateus. O altar do lado esquerdo é dedicado a Santa Brígida. A porta principal tem a inscrição de 1603 e a lateral é de estilo Manuelino.

Um incêndio ocorrido em 7 de Fevereiro de 1932, obrigou ao encerramento da igreja, passando os serviços paroquiais para a Capela de Santa Rita, do vizinho Palácio do Duque de Palmela.
A reconstrução fez-se rapidamente, a expensas públicas, efectuando-se a reabertura solene do templo em 23 de Junho de 1935, onde desde 24 de Dezembro do ano anterior tinham voltado a efectuar-se os actos paroquiais. A lenda que se formou à volta da Santa e a festividade que se fazia em sua honra, tinham outrora um luzimento e repercussão bem diferentes.

Regressámos à Igreja de São João Baptista, para fazer soar a nossa música na Cerimónia de Casamento da Andreia e do Nelson. Mais uma vez, o casamento foi celebrado pelo simpático Padre Alberto Sousa e fazemos nossas, as palavras do Sr. Padre… “Nunca deixem desaparecer a chama do vosso amor, e certamente, serão eternamente felizes!”