Igreja do Mosteiro de S. Dinis, Odivelas

No domingo dia 4 de Outubro de 2009 decorreu, num espaço carregado de história, o casamento da Mara e do Luís que se desenrolou no Mosteiro de São Dinis, em Odivelas.

O Mosteiro de S. Dinis, também chamado de Mosteiro de Odivelas, situa-se no coração de Odivelas e foi construído entre 1295 e 1305. Reza a lenda que o rei D. Dinis mandou erguer o mosteiro após ter saído são e salvo de um ataque de um urso durante uma caçada. No entanto, os historiadores apontam para a hipótese de o edifício ter sido um local para o monarca acomodar filhos bastardos. É lá que está o rei conhecido como O Lavrador e uma das suas filhas, D. Maria Afonso.

Ao longo dos tempos este edifício sofreu várias alterações e contratempos. Nomeadamente, ficou seriamente afectado por dois terramotos, o primeiro em 1531 e o segundo o célebre sismo de 1755. Pelo meio, foi lá sepultada (em 1516) D. Violante, irmã de Pedro Álvares Cabral, a qual pediu a Gil Vicente que escrevesse o "Auto da Cananeira".

A igreja do complexo é composta por uma única nave, cabeceira escalonada com ábside e absidíolos poligonais comunicantes, tendo adossada sacristia e capela. A nave possui dois púlpitos e quatro altares enquadrados por arcos e tribuna sobre entrada.

Fruto de diversas ocupações, hoje é um colégio feminino para filhas de militares, o Instituto de Odivelas, e encontra-se sob a responsabilidade do Ministério da Defesa.

Mara e Luís, desejamos-vos as maiores felicidades e… não se esqueçam do par de botas!

3 de Outubro – Igreja Matriz de Alhos Vedros

A Cláudia e o Hugo escolheram o sábado, dia 3 de Outubro para realizarem a sua cerimónia de casamento. O Ensemble FazMúsica participou na cerimónia religiosa que se desenrolou na Igreja Matriz de Alhos Vedros.




A fundação da Igreja Matriz de Alhos Vedros remonta, possivelmente, a fins do séc. XIII, mas da construção primitiva nada resta. No baptistério destaque para azulejos do séc. XVIII onde está representado o baptismo de Jesus. Trata-se de um templo de nave única com capela-mor e quatro capelas laterais: a de São Sebastião de estilo gótico foi edificada no séc. XV por Pero Vicente, que aqui foi sepultado com sua mulher Constança Vaz. A capela de São João Baptista (terceira do lado direito) de estilo Manuelino tem as paredes cobertas de azulejos, do tipo de aresta (azulejos sevilhanos hispano-árabes), da primeira década do séc. XVI.


No chão da capela encontra-se a sepultura de Pero Gomes de Faria (1517), cavaleiro de D. Manuel I e possivelmente fundador da capela. A capela de N.ª Sr.a do Rosário (primeira do lado esquerdo) é datada do séc. XVII com azulejos do séc. XVIII onde está representada a vida da Virgem. Já a capela de N.ª Sr.a dos Anjos (Segunda do lado esquerdo) é do séc. XVI e nela pode-se observar uma cúpula mourisca e sepulturas da família Mendonça Furtado, provavelmente seus fundadores. É nesta capela que está depositada a imagem de N.ª Sra. dos Anjos, datada do séc. XV, feita em pedra e com o menino no braço esquerdo.


Que sejam muito felizes, Cláudia e Hugo, por muitos e muitos anos, são os votos do Ensemble FazMúsica!

27 Setembro - Quinta de São Miguel da Corujeira

A Quinta São Miguel da Corujeira situa-se no sítio da Corujeira, freguesia da Aldeia Galega da Merceana, concelho de Alenquer, na Estrada Nacional nº115 que liga Sobral de Monte Agraço a Merceana.
Integrada na região do Oeste, numa zona de grande beleza natural, onde se encontram algumas das mais belas Igrejas da região, entre pomares e vinhas já celebradas por Gil Vicente no Pranto da Maria Parda.
A Quinta apresenta um conjunto de infra-estruturas ideais para se organizar e criar um ambiente fantástico para casamentos, baptizados, entre outras.

A Quinta de São Miguel da Corujeira recebeu a nossa música para a cerimónia civil da Paula e do Paulo que se desenrolou nos jardins contíguos à piscina, e o cocktail foi servido já na zona da piscina, e serviu de cenário para as fotografias. A cerimónia civil contou com o seguinte alinhamento musical:

Entrada do Noivo – Can you feel the love tonight, Elton John
Entrada da Noiva – She, Elvis Costello
Entrega das Alianças – When I fall in love, Nat King Cole
Saída dos Noivos – What a wonderful world, Louis Armstrong

Desejamos muitas felicidades e que a vida lhes sorria, plena de felicidade e muito amor!

27 de Setembro - Siobhán & Nuno, Aldeia Galega da Merceana

Regressamos, pela segunda vez este ano, à histórica Aldeia Galega da Merceana, mais propriamente à Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, para realizar mais um casamento bilingue. A noiva, Siobhán, de origem irlandesa, e o noivo Nuno, de origem portuguesa, escolheram o seguinte alinhamento musical para a cerimónia sem missa:

Entrada do noivo - Moon River , Henry Mancini
Entrada da noiva – Gabriel’s Oboe, Ennio Morricone
Cerimonia das velas - Arioso, Bach
Salmo 128
Alleluia, Mozart
Acender da vela de casados - Jesu, Joy of Man's Desiring, Bach, Cantata, Bach
Assinaturas – Canon, Pachebell
Saida do noivos - What a Wonderful World, Louis Armstrong

Esta igreja é considerada um monumento de muito interesse, e a sua concepção ornamental apresenta características da segunda metade do século XVIII. É constituída por uma só nave com capela-mor e tem três altares de talha branco e oiro. O tecto da capela-mor apresenta uma pintura do século XVIII sobre madeira com os quatro Evangelistas. A pintura do tecto e da nave são da mesma época. A igreja contém ainda diversas imagens de grande valor como a imagem de "S. Miguel" e a de "Nossa Senhora do Rosário". No templo existe ainda uma capela lateral com traça nitidamente mais antiga que assinala vestígios da primitiva igreja.

To the Bride and Groom, Siobhán & Nuno, we wish you lots of luck and happiness for your future together!

26 Setembro - Igreja de São Domingos, Lisboa

A Sónia e o Filipe, escolheram para local do seu casamento e baptizado da sua pequena filha, a Igreja de São Domingos, situada bem no centro da bonita cidade de Lisboa, junto à Praça do Rossio, que data do século XIII, sendo famosa por albergar no seu interior parte do lenço da pastorinha Lúcia e o terço da pastorinha Jacinta, usados por elas quando se deu o milagre do sol, no dia 13 de Maio de 1917.

A Igreja de uma só nave, viu lançada a primeira pedra no ano de 1241, e desde então sofreu sucessivas campanhas de restauro e ampliação. O seu estilo arquitectónico é, pois, uma mescla dos diferentes períodos e influências que a moldaram. O terramoto de 1755 derrubou-a por completo, exceptuando a capela-mor, que havia sido alvo de obras em 1748, obras essas que foram dirigidas pelo famoso arquitecto Ludovice.

Em 1954, um violento incêndio destruiu por completo a decoração interior da igreja, onde constavam altares em talha dourada, imagens valiosas e pinturas. A igreja recebeu obras e reabriu ao público em 1994, sem esconder as marcas do incêndio, como as colunas rachadas. Ainda que destruída, é uma igreja que sobressai pela policromia dos seus mármores. Era desta Igreja que saíam em procissão os condenados à fogueira da Inquisição, e onde se celebraram alguns dos importantes casamentos e baptizados Reais.

Muitas felicidades, são os votos do Ensemble FazMúsica!

25 Setembro – Igreja de São Silvestre, Gradil

De à uns anos até esta data, muitos casamentos começaram a ser realizados durante a semana, principalmente à sexta-feira. Este casamento realizou-se na sexta-feira, dia 25 de Setembro pelas 13 horas na Igreja Matriz do Gradil e contou ainda com outra particularidade… Os noivos, Aoife & Mark, são um casal irlandês que vieram de propósito realizar a cerimónia do seu casamento no nosso país.
A sequência da cerimónia com missa seguiu os ritos do país de origem dos noivos e apresentou a seguinte sequência musical:

Entrada dos Convidados e do Noivo - She, Elvis Costello
Entrada da Noiva - Gabriel's Oboé, Ennio Morricone
Acender das velas – Summertime, Gershwin
Benção e entrega das alianças - Panis Angelicus, Cesar Franck
Abraço da Paz – Imagine, Beatles
Comunhão - Avé Maria, Gounod Assinatura - Canon, Pachelbel
Saída dos noivos - Marcha Nupcial, Mendelsshon

A igreja matriz é o mais importante monumento desta freguesia. Consagrada a S. Silvestre, é de uma só nave e apresenta dimensões muito consideráveis. Na capela-mor, coberta por abóbada de berço, e iluminada por dois janelões rectangulares que se abrem nos muros laterais, destaca-se o retábulo, ostentando ao centro uma tela figurando uma cena com São Silvestre Papa. As suas paredes são decoradas com azulejos seiscentistas do tipo tapete e têm adossados dois púlpitos de pedra rosada. Esta igreja em uma imagem do Menino Jesus, num dos altares, em redor da qual existe uma curiosa lenda sobre a sua destruição durante o terramoto de 1755 e a posterior reconstrução.
For Aoife and Mark, we wish all the best!

20 Setembro – Igreja de São Silvestre, Gradil

A Igreja de São Silvestre no Gradil, também conhecida por Igreja Matriz do Gradil, situada junto a Mafra, foi o local escolhido pela Bianca, de nacionalidade alemã, e pelo Bruno, de nacionalidade portuguesa, para a cerimónia do seu casamento que se realizou no dia 20 de Setembro de 2009. O alinhamento musical escolhido para este casamento bilingue foi:

Entrada do Noivo: Abdelazer, Purcell
Entrada da Noiva: Marcha Nupcial, Mendelsohn
Aleluia Gregoriano
Benção e entrega das alianças: Avé Maria, Gounod
Após Oração Universal: Canon, Pachelbel
Assinaturas: Arioso, Bach
Saída dos Noivos: Hornpipe, Haendel
A Igreja Matriz do Gradil deverá datar do século XVII, embora guarde pormenores quinhentistas. Por cima da porta da sacristia encontra-se inscrita numa pedra a data de 1760, presumindo-se ter sido nessa altura concluída a reconstrução da igreja, depois do terramoto de 1755. No coro alto encontra-se um órgão de tubos, da autoria de António Xavier Machado e Cerveira, irmão do escultor Machado de Castro, de 1801. Uma fonte baptismal quinhentista, duas pias de água benta e um arcaz de sacristia seiscentistas, e o altar-mor setecentista, fechado por uma tela evocando o baptismo do Imperador Constantino pelo Papa São Silvestre, são outros motivos de interesse.
Bianca und Bruno sind sehr glücklich, vielen Jahren, sind die Stimmen des Ensemble FazMúsica!

19 Setembro - Igreja de São Domingos de Benfica, Lisboa

A Igreja de São Domingos de Benfica fica situada no Largo de São Domingos, em Benfica, muito perto do Palácio dos Marqueses de Fronteira. Faz parte de um convento dos Dominicanos, fundada em 1399, que foi renovado várias vezes - mais recentemente no século XIX. Esta foi a igreja escolhida pela Mariana e pelo André para a cerimónia do seu casamento, que contou com o seguinte programa musical:

Entrada do Noivo - Ária, Bach
Entrada da Noiva - Avé Maria, Schubert
Salmo - 127 (126)
Aleluia Gregoriano
Benção e entrega das Alianças - Jesu, Joy of Man's Desiring, Bach,
Ofertório - Ombra Mai Fu, Haendel
Sanctus - Schubert
Comunhão - Ave Verum Corpus, Mozart
Assinaturas - Tema do filme Aladino, Disney
Saída dos Noivos - Marcha Nupcial, Mendelsshon

A pequena igreja, que geralmente é mantida fechada, ficou tão danificada com o terramoto que a maioria tinha que ser reconstruído. As paredes estão decoradas com azulejos de António de Oliveira que datam do século XVIII. No interior, destacam-se várias estátuas esculpidas em mármore Carrara e Arrábida. Os túmulos de muitos membros da família de Fronteira, a quem pertencia o palácio vizinho, encontram-se na capela-mor.

Votos de felicidades e que sejam felizes por muitos anos!