Flávia & Michael - 26 de Junho 2011

Situada no lado poente da Serra da Arrábida, a Quinta El Carmen é um local histórico.

Nesta famosa Quinta, viveu um importante Fidalgo espanhol (castelhano) que havia de se tornar mais tarde no famoso São Martinho ou Frei Martinho de Santa Maria que fundou o Convento da Arrábida.Este espaço inclui a capela de Santa Maria do Carmo, que foi construída e reparada por Mordomos e com esmolas do povo, antes de 1534, quando os Duques de Aveiro tomaram conta da Coutada da Arrábida, cuidaram das diversas capelas e apoderarem-se delas. A primitiva capela era, segundo uma descrição de 1553, «redonda e oitavada, sem fresta nem alpendre, tendo um tecto de madeira castanho de olival, telhado de valado e arco cruzeiro redondo».

A Quinta El Carmen, voltou a acolher a nossa música, para brindar a Flávia e Michael na sua cerimónia de casamento, que se realizou no passado dia 26 de Junho de 2011.
Que sejam muito felizes, Flávia & Michael, por muitos e muitos anos, são os votos do Ensemble FazMúsica!

23 de Junho 2011 - Palácio São Vicente

Na Graça antiga de Lisboa, onde a Rua Voz do Operário encontra o Largo de São Vicente, ergue-se há quatro séculos, sobre um lanço de muralha, um palácio. É o Palácio de São Vicente, mandado construir em 1606 por D. Diogo Soares, Secretário do Concelho de Portugal em Madrid, em plena época Filipina.

Foi neste canto da Graça, numa harmonia firmada pela convivência de séculos, virado a sul para o Tejo e para jardins, a norte, que no passado dia 23 de Junho de 2011, se desenrolou a cerimónia de casamento da Patricia e Gonçalo.Há ecos de passos reais no Palácio de São Vicente. Diz-se que nele viveu a princesa Dª Joana, mãe de D. Sebastião. No séc. XIX teve a sua época áurea com Dª Mariana de Noronha, abrindo portas à elite nobre e intelectual da altura.
Em 1906, o palácio é vendido a Alfredo da Cunha, director do "Diário de Notícias" que faz grandes obras de remodelação, dirigidas pelo arquitecto Bigaglia, e traz para o palácio uma extensa colecção de azulejos de várias épocas, que fazem deste espaço, actualmente, um verdadeiro museu do azulejo.

O palácio renovado atrai a mais distinta sociedade da época, com festas e serões de música, teatro e poesia. Entre os frequentadores da casa está o poeta e dramaturgo Júlio Dantas. Mas todo esse brilho será apagado pelo escândalo que atinge Alfredo da Cunha e a mulher, Maria Adelaide. Drama este relatado em duas obras de Agustina Besa Luís, e também através de um filme realizado por Monique Rutler, "Solo de Violino".
Os actuais proprietários encontraram o palácio bastante degradado e atavés de profundas obras de restauro, devolveram-lhe o seu esplendor perdido, respeitando toda a sua traça original. Em Maio de 2006 o palácio abriu ao público as suas portas para a realização de eventos. Patricia e Gonçalo, desejamos muitas felicidades e muita saúde, durante muitos e longos anos, são os votos do Ensemble FazMúsica.